quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Casa na praia: NUNCA MAIS...



Sexta-feira, 17h e não pára de chegar gente! Meu compadre convidou a irmã, a sogra, a enteada com o namorado, os irmãos do namorado...Veio também a filha da dona Edith, a vizinha, e o namorado. Minha irmã e o marido trouxeram mais três anjinhos.

Casa da praia cheia, colchão na sala, na cozinha, na garagem, tem gente dormindo até na rede da varanda.

Fila para o banheiro, fila para o chuveiro (3,48 minutos pra cada um) sabonete cheio de areia, banheiro molhado, algazarra.

O fim de semana nem começou e a matriarca esta subindo pelas paredes, tem roupa espalhada por toda a casa, guimbas no vaso da sala, fraldas entupindo a privada, crianças brigando e mães inertes.

Onze horas, só quero silêncio, afinal de contas o dia foi longo

- Carrega o carro;

- Carrega o reboque;

- Organiza a barraca;

- O Morey Boogie;

- As cadeiras;

- O guarda sol;

- O cachorro;

- O isopor;

- A esteira;

- O protetor;

- A bola;

- O frescobol

Mas a criançada ainda está com a corda toda. Até arrisco um “SILÊNCIO” mas é como malhar em ferro frio.

Duas horas da matina, e ninguém consegue pregar o olho além do meu compadre, que bebeu todo meu whiski e já dorme desde as 7 e meia.

Nesse momento juro para a patroa: NUNCA MAIS!!

Seis e meia, corro ao banheiro...Adivinhem: Cheguei tarde. Fila!

Café da manhã. Haja cacetinho! Foram mais de 60. (Isso mesmo, SESSENTA CACETINHOS), 2 litros de café, duas margarinas, 800 gramas de queijo e 800 de mortadela gorda.

Quem pagou? Dessa vez fui eu, mas jurei pra patroa: NUNCA MAIS...

A mesa ficou posta, lotada de farelos e louça suja, e todo mundo voou para praia. Quem limpa? Tadinha da minha mulher, saindo para a praia com as crianças ainda ouvi gritando da cozinha: NUNCA MAIS!!!

Tomaram conta do pedaço, até cercar, cercaram. Sabe aquele cordão de isolamento do tipo “aqui é NOSSA família”?

Estávamos nos sentindo “Os caras” da praia.

Meu cunhado adora entrar correndo no mar molhando todo mundo num raio de 50 metros. Ai, que felicidade!

O sol parece que acordou com vontade de assar carne branca.

Devoraram meu Sundown em segundos. Fator 30. Parecia que arrancavam um pedaço de mim cada vez que se besuntavam. Minha patroa me cutucou e lascou: NUNCA MAIS...

De repente bate um nordestão e o guada-sol alça vôo. Pega! Pega! Que maravilha, que alegria, estamos na praia, nos divertindo à beça!

Hora do almoço. Meu sogro já estava com a bóia pronta desde as 11 e meia, mas até todo mundo passar pela fila da mangueira, lavar as cadeiras, o Morey, tirar quilos de areia do fundilho, já beira 3 horas.

- Me passa o Q-suco! - Alcança a salada! Coisa linda é família reunida, todo mundo tomando minha cerveja. Criança chorando porque não come cebola, porque não come alface, e as mães, inertes.

Oba! Vamos para rede, esperei o ano todo por isso: Barriga cheia, cabeça cheia, e uma rede na sombra e na praia. Mas deram corda na criançada, uma gritaria de dar inveja às fãs do Luan Santana. Puxei a patroa e falei no ouvido dela: NUNCA MAIS.

Minha mulher adora sobremesa, e sempre que pode prepara um “Chico Balanceado” que da água na boca só de lembrar.

Ficou até as cinco da tarde na cozinha, lavando, secando, escorrendo, e preparando nosso manjar. Mas promete: NUNCA MAIS.

Fomos dar uma volta pra poder maldar essa troupe e comprar milho. Voltamos antes das seis. Do “Chico balanceado” só sobrou a louça que minha patroa foi lavar, mas jurou, dessa vez em voz alta: NUNCA MAIS.

Descascamos SOZINHOS 30 espigas. Haja panela! Mas com a boa vontade da minha mulher, dividimos em três ou quatro panelas. Até uma lata de tinta usamos. Milho pronto, na travessa, criançada suada, fedendo, emporcalhada, só faltam subir na mesa, e literalmente se avançaram no milho. Mães inertes. Não preciso dizer que minha querida mulher ficou na saudade. Mas me jurou: NUNCA MAIS.

Todo mundo num vermelho parelho, haja Caladryl! A barriga vermelha do meu sogro parecia uma melancia ao avesso.

Meu compadre, que à essas alturas já estava alto de trago, deu de implicar com a mulher, ficou aquele climão.

Ninguém conversava mais com ninguém, a última briga foi por causa da programação na TV. Eu queria ver um filme e minha vizinha a Zorra Total. Cedi, mas jurei: NUNCA MAIS.

Feliz, ou infelizmente, chegou a hora de ir embora. Desmancha barraca, carrega toda a tralha (ou quase toda), engata reboque, tranca nas janelas, desliga a geral.

Faz a chamada, e simbora!

No caminho escolhemos vir pela Freeway, que engarrafou. Eu e minha querida nos olhamos e em uníssono berramos: NUNCA MAIS MESMO!!!

O problema é que no fundo sabemos que daqui a 2 finais de semana estaremos fazendo tudo de novo! Pois não tem nada melhor que PASSAR O FINAL DE SEMANA NA PRAIA COM A FAMÍLA!


4 comentários:

  1. É sempre assim! hehe

    ResponderExcluir
  2. Pô GP, esqueceu os cachorros...hehehe.

    ResponderExcluir
  3. Créditos de 0,8% de auxílio do Diogão...

    ResponderExcluir